sexta-feira, abril 7

Luzes que (nunca) se apagam. Enfim!

" O primeiro erro que cometi foi ter-me apaixonado por ti. Não sei ainda hoje explicar o que me aconteceu. É como se de repente tivesse saído de dentro de mim própria e assistisse ao desenrolar da paixão que crescia desmesuradamente, sem que nada pudesse fazer para o evitar. Talvez, sem saberes, tenhas tocado nos pontos cardeais da minha insegurança e deles se tivesse acendido uma luz que segui, cega e surda, como os insectos numa noite de verão à volta de uma lâmpada que alguém se esqueceu de apagar. Mas o amor é mesmo assim: absoluto, estúpido e tudo menos sensato. Ou talvez me tenha apaixonado apenas pela tua imagem e, quando te tornaste real aos meus olhos, te tenha adaptado a um ideal humanamente perfeito, à luz do meu desejo.
De qualquer forma, apaixonei-me por ti e esse foi o erro primordial, o primeiro de todos, provavelmente o único importante (tal como tu).
Mas é melhor que nunca mais se cruzem os nossos olhares, é melhor que a palavra adeus seja mesmo essa e não outra. Chegámos ao fim do caminho. A partir daqui todas as palavras serão inúteis.
Nunca saberei até que ponto ages com o coração ou apenas com a cabeça. Até que ponto te entregas ou apenas jogas. até que ponto sentes e ages, ou apenas observas. E é por nunca ter sabido quem és, que um dia te conseguirei esquecer. "
Não há coincidências.

3 comentários:

kuqi disse...

identifico-me (infelizmente) com mais de metade das palavras que estao nesse texto, estupidamente apaixonada por alguem que tenho quase a certeza que nao está ao meu alcance... de qualquer maneira, tento seguir as tuas palavras @ adoro-te

deya* disse...

o texto é simplesmente lindo, acho q tds nos uma vez na vida ja nos identificamos ou iremos identificar com ele ! :)

adorei msm xP *


Beijinho assim grande pra ti ! Muaaah*

Mariana =) disse...

Esse livro e' simplesmente lindoo :) i esse excerto e' demais mmo :)

ja' nao tamos juntas ha mto tempo menina :P beijinhoo *

gosto mto de sii =)