terça-feira, outubro 24

'Love' will never leave us alone

Perder-te? Como assim?
Esquecer esse teu cheiro, a amora e jasmim?
Não. Tu não eras capaz de uma maldade dessas...
Ou será que eras? Deixavas-me o coração às avessas
E fugias de mim?

Lamento, meu caro, tenho uma pena imensa!
Mas não há zanga, nem desavença,
Que consiga afastar os verdadeiros amigos - os brilhantes -,
Os que se sobrepõem em todos os momentos marcantes,
Daquilo a que chamamos adolescência!

Porque é aqui que construímos
As melhores amizades (fruto dos melhores mimos)
Feitas do muito e do quase nada
Da nossa alegria e evolução,
E que por mais que nos afastemos (e deixemos a chama apagada)
Estará sempre estendida aquela mão...
Que nos trará de novo à nossa estrada
E nos aquecerá o coração!

E os meus olhos abrem-se de espanto
Quando, ainda hoje, me disseste num pranto,
"Perdi um amigo, estou tão triste!"
E guardaste assim a felicidade num canto
Com a facilidade de quem desiste.
Fecha os olhos e escuta, consegues ouvir...?
(Sorris) Então? Ouviste??! :D
Tens mais força do que pensas dentro de Ti!



Para Ti.
InêsCorreia

2 comentários:

Rita Reeve disse...

"E os meus olhos abrem-se de espanto
Quando, ainda hoje, me disseste num pranto,
"Perdi um amigo, estou tão triste!"
E guardaste assim a felicidade num canto
Com a facilidade de quem desiste.
Fecha os olhos e escuta, consegues ouvir...?
(Sorris) Então? Ouviste??! :D
Tens mais força do que pensas dentro de Ti!"

pq na verdade temos . apesar de n pensarmos tanto assim quando deviamos .. =]

muito bonito :)

beijinhoo* Ines O'neil :)

Pedro Fernandes Martins disse...

pois é, cá estou eu a fazer-te um comentário no "bocadinho de tudo" após uma grande ausência para vacaciones. ora bem, é bastante engraçado ler os teus poemas e dar a ideia de que já o vimos nalgum lado, ou que até já sentimos o que lá é descrito. e também é bastante engraçado que, ao ler os teus poemas, sintamos alguém a recitá-lo ao nosso ouvido. têm alma, é como se encarnasses no seio do poema e o recitasses a todas as pessoas que o lêem. é uma complexidade simples, percebes?? não??? é mesmo difícil de explicar. um grande beijo *