quarta-feira, maio 3

Tô de bem com a vida, meu amor.

Acordo cedo, com o meu irmão. Tomo um duche rápido enquanto ele fica a dormitar na cama (é tão bom o ronha-ronha dos lençóis). Tomamos o pequeno-almoço juntos e em seguida vamos limpar a piscina (tinhamos que nos entreter, até tu chegares!). À uma hora acendemos o churrasco. Passavam poucos minutos das 13h quando TU chegaste.
Felicidade! Desci as escadas no meu passo lento e ritmado... Estava só a observar-te! Já não te via há um tempo... Dei-te um beijo e um abraço rápido, e peguei na tua mala. "Deixa estar, eu levo!" não não, eu estou bem assim! Levo eu que é mais rápido, e o tempo é escasso!
Almoçamos e tu vais lá acima trocar de roupa (eu já estou de bikini e de corsários). Entretanto conversamos um bocado e jogamos ping-pong no salão.
Toalha ao ombro (sem esquecer o protector solar) e lá vamos nós rumo à piscina. Queixas-te da frieza (ou deverei dizer "geleza"?) da água... Molhas o pézinho, mas ficas-te por ali. Eu resmungo um bocado, mas acabo por entrar. (Entro sempre! Sou uma "apaixonada pela água", sabes bem.) Um solzinho para aquecer e morenar - ou vermelhar! - e umas fotografias. Divido a minha atenção entre ti e o Gonçalo (o Miguel e o Afonso já não são assim tão pequenos). Ris-te quando digo que o Gonçalinho parece o miúdo do Ecoponto - pukê?!. Jantamos, comemos um gelado e vemos televisão.
Faço umas torradas (o meu irmão é um esfomeado), mas a ti não te apetece. Preferes chá de camomila. Não é que eu goste de chá - na realidade, detesto -, mas faço-te companhia e bebo um bocadinho (de nada).
Fomos dormir pouco tempo depois. Faço uma ligeira vistoria ao quarto - sabes bem a minha paranóia com os mosquitos e bichos rastejantes e de muitas patas. O sono era tanto que nos esquecemos de fechar as portadas! Claro que às 8h já tinhamos acordado com os bons-dias do Sol, que insistia em entrar pelo quarto dentro e inundar tudo com luz e vida. Às vezes é mesmo imbecil :)
Pequeno almoço cá fora (descobriste essa paixão desconhecida por Leite Agros - simples) e ping-pong nas horas mais quentes. Almoço e banhos de sol e mais umas fotografias. A meio da tarde decidimos ir refrescar-nos. Lutei muito com a temperatura da água... Estava mesmo fria, mas o Miguel forçou-me a entrar (e alguém tinha que apanhar a rede!), depois disso foi fácil: umas brincadeiras com a tartaruga, uns chapinanços aqui e ali... E enfim, mergulhei! Senti os ossos gelados, mas o prazer da água era maior. Mergulhei uma e outra vez. Dei umas braçadas, mais um bergulho, e saí. Corri para o lugar mais solarengo e estiquei-me.
Uma tosta mista para o lanche, muda rápida de roupa, e descemos já com alguma pressa para o carro. As minhas complicações do costume com o portão (nunca atinei com aquilo!) e seguimos rumo a (tua) casa. Conversamos um bocado no caminho... Sobre tudo. Abraço-te, recomendações do costume, digo-te adeus. E vejo-te a sorrir pela janela.

2 comentários:

Inês Alencoão disse...

Suas amigas belantes! ;)
Um fim-de-semana em cheio (e cheio/completo!) em alegria e amizade... ah, tão bom tão bom! Sabe tão bem:)
Ai... os amigos são, sem dúvida, das coisas melhores deste efémero mundo!
Beijinho amigos, para as minhas duas queridas amigas*

Diana Guimarães disse...

Bem, parece que tenho de agradecer às duas inezitas! É vdd, foi bom recuperar o tempo e ver q, afinal, tlz hajam coisas na vida que duram p/ sp! E, vdd tb,os amigos são A melhor coisa do mundo.. aqueles que real/ o são,não se ficando pela designação.. e tu és.. e vocês são.. Obrigada!*